Passeio de bonde em Viena. Explore Viena por conta própria, usando os bondes com a Linha D

Eu estava em Viena com o objetivo de explorar um pouco mais a cidade por conta própria, sem um guia ou ônibus de turismo, e parecia uma ideia bem atraente. Com bastante tempo livre, comprei um passe diário de transporte público e com o auxilio do Google Maps subi em um bonde da linha D, e embarquei para um passeio turístico em Viena.

Texto: Arnold Weisz – Fotos: Ana Lucia Marcos & Arnold Weisz

Viena é perfeita para passeios de bonde. Descobri que poderia experimentar muitas das diferentes facetas da cidade dentro de 2 a 3 horas, com a linha D. Você pode conhecer a Viena imperial, as movimentadas ruas comerciais, os conjuntos habitacionais dos trabalhadores e o distrito vinícola de Nussberg, apenas para citar alguns dos pontos. O Bonde levará você da principal estação ferroviária da cidade (Hauptbahnhof) até o coração da cidade, e depois até a última parada nas vinhas, as margens do rio Danúbio. Mantive os nomes locais nas paradas para facilitar o acompanhamento da minha rota.

Viagem turística por conta própria

Há algo diferente ao se sentar em um dos bancos no bonde com aposentados que visitam amigos em outro bairro, ou um grupo de namorados que fazem compras, ou mães que buscam seus filhos no jardim de infância ou crianças em idade escolar a caminho de casa. É lógico que alguns turistas também entram no bonde da linha D na principal estação ferroviária de Viena, mas a maioria já desembarcou antes de deixar a rua Ringstrasse. Começo minha jornada de conhecer Viena em Hauptbahnhof, mas não demoro muito para encontrar algo que simplesmente precisava ser visto. Duas paradas depois, desembarquei para explorar a primeira atração ao longo da linha D.

Schloss Belvedere (Palácio Belvedere)

A residência de verão do Príncipe Eugenio de Saboya, um dos heróis mais importantes dos Habsburgos, consiste em um magnífico palácio e extensos jardins. Hoje, o palácio funciona como um museu de arte, enquanto o jardim é um parque público com acesso gratuito. Embora você encontre várias exposições no Schloss Belvedere, ele é conhecido principalmente por sua coleção Gustav Klimt. Além disso, diz-se que você não deve deixar Viena sem ter visto a pintura Der Kuss (The Kiss). Entro no bonde novamente e continuo meu passeio em Viena. Quatro paradas adiante e chego à rua Ringstrasse, que circunda o centro histórico da cidade de Viena. Aqui encontro marcos importantes de Viena tanto à esquerda e à direita, pelas próximas cinco paradas.

Castelo Belvedere. Foto: Ana Lucia Marcos ©

Oper (Anel de Carintia)

O Wiener Staatsoper (Ópera Estatal de Viena) é uma ótima parada para fotos com seu majestoso edifício. Sempre há peças em cartaz e a temporada da ópera dura dez meses. Mime-se com um show aqui uma noite. Além disso, é claro, que você pode descer e entrar na caminhar pela enorme rua Kärntner Strasse, uma das principais ruas comerciais de Viena, onde você encontrará também à famosa Catedral de Santo Estêvão. No entanto, meu intuito não é fazer compras neste viagem e embarco novamente no bonde e sigo para a minha próxima parada na linha D.

Burgring & Volksteater

Eu chamaria essas paradas de “paradas principais” em nossa jornada por Viena. A partir dessas paradas, a uma curta distância, fica o Palácio Imperial de Hofburg, todo o quarteirão dos museus (MuseumsQuarter), o jardim Volksgarten e outros muitos locais (pequenos e grandes) de seu interesse. Se você não for entrar para visitar nenhum destes pontos turísticos, e for apenas tirar algumas selfies rápidas, não vale a pena descer nessas paradas. No entanto, se você tiver bastante tempo e um plano para o que gostaria de visitar, poderá passar um dia inteiro nessa área. De qualquer maneira, vou guardar estes lugares para descreve-los em artigos dedicados a cada lugar pois, sem dúvida, eles merecem.

O Palácio de Hofburg visto da praça Michaelerplatz. Foto: Arnold Weisz ©

Parliament (Parlamento)

Como o próprio nome da parada diz, cheguei ao prédio do parlamento austríaco. Atualmente, ele esta cercado por andaimes e guindastes de construção, devido à uma grande reforma, e não tão fotogênico como normalmente. Em vez disso, caminhei 150 metros ao longo da rua Ringstrasse e dei uma olhada na prefeitura (Rathaus) de Viena , do outro lado da rua o teatro Burgteater, onde também há uma parada da linha D. Depois de tirar algumas fotos da prefeitura e da praça em frente, onde vários eventos acontecem com frequência, continuei meu passeio de bonde em Viena por mais cinco paradas. Deixando a Ringstrasse para trás e me afastando do centro histórico, minha próxima parada foi em Bauernfeld.

Parlamento da Áustria em Viena. Foto: Ana Lucia Marcos ©

Praça Bauernfeldplatz

Desci na praça em homenagem ao autor dramaturgo local Eduard von Bauernfeld, do século XIX. De lá, atravessei a rua Porzellangasse e continuei 60 metros até chegar à rua Fürstengasse e ao Palácio de Liechtenstein. O palácio em si é um edifício fabuloso, mas é o que você encontrará lá dentro é que realmente vale a pena a visita. Você encontrará a coleção de arte particular do Príncipe do Liechtenstein (pequeno país da Europa central), que inclui obras-primas do início da Renascença à era barroca. A coleção mostra obras de arte de, entre outros, Peter Paul Rubens, Rembrandt, Anthonis van Dyck, Lucas Cranach, o mais velho, e Frans Hals. Portanto, essa parada não deve ser desperdiçada se você tiver um pouco de interesse em arte.

Palácio Liechtenstein. Foto: Arnold Weisz ©

Lichtenwerderplatz

Desço na parada seguinte, em um cruzamento continuo à direita e noto imediatamente uma chaminé especial. Após a reforma em 1989, o prédio de incineração de resíduos (Müllverbrennungsanlage Spittelau), com seu novo design exterior e projetado pelo artista austríaco Friedensreich Hundertwasser, é hoje parte integrante da paisagem urbana de Viena e é uma atração turística popular. No entanto, o estilo de Hundertwasser é, de qualquer forma, inconfundível. Depois de tirar algumas fotos, voltei para o ponto e entrei no próximo bonde em direção a Nussberg. Posso ainda me inclinar um pouco para trás e apreciar a vista da capital austríaca através das janelas e ainda com algum tempo para relaxar enquanto deixo o bonde passar mais seis paradas, antes de descer novamente na rua Halteraugasse.

Foto: Arnold Weisz ©

Heiligenstadt & Halteraugasse

À primeira vista, não fico muito impressionado com seu tamanho do edifício. No entanto, quando começo a andar, contornando e atravessando o imenso edifício, percebo as grandiosas dimensões que esse bloco de apartamentos realmente possui. A propriedade Karl-Marx-Hof foi construída entre 1926 e 1930, de acordo com os planos do arquiteto Karl Ehn. O enorme complexo residencial tem uma frente ininterrupta com quase 1,2 km de comprimento e é um símbolo marcante da construção de moradias sociais em Viena durante o período entre guerras. O complexo, que contém mais de 1300 apartamentos e inúmeras instalações comerciais, foi extensivamente renovado nos anos 90. No local, você também encontrará o museu “Das rote Wien“, que abrange o período de 1918 a 1934. Desde o colapso do império Áustria-Hungria até a aquisição fascista, Viena foi governada por socialistas e a cidade ganhou uma aparência completamente nova com, entre outras coisas, edifícios municipais que, por exemplo, Karl-Marx-Hof. Vou deixar a visita do museu para um próximo dia, pois já passou da hora do almoço e então vou para a última parada na linha D e só depois almoçar.

Karl Marx Hof. Foto: Arnold Weisz ©

Nussdorf

Antigamente Nussdorf era uma pequena vila, mas em 1892 tornou-se parte do 19º distrito de Viena, Döbling. Estamos nos arredores da cidade e daqui não fica longe a fronteira com o estado da Baixa Áustria. Nussdorf está situado nas margens do rio Danúbio e se estende até as colinas ao norte de Viena. A marca registrada do distrito são as vinhas e o chamado heurigen (tavernas locais), onde você pode saborear o vinho local acompanhado por delícias culinárias da cozinha vienense. No meio do loop reverso da linha D, há um restaurante tradicional com um agradável terraço ao ar livre no quintal. O “Einkehr zur Zahnradbahn” foi a escolha perfeita para refletir sobre os passeios de bonde de hoje e, é claro, para saborear uma comida vienense de verdade. A escolha foi fácil com um Wienerschnitzel grande e suculento. Mahlzeit! Espero que tenha gostado de me acompanhar neste interessante passeio de bonde em Viena com a linha D e use a próxima visita para tentar esta alternativa e explorar a capital da Áustria por conta própria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.